É UMA HONRA PARA MIM SER MAÇOM




Autor: Ir. Barbosa Nunes
Publicado em 25/08/2015 por Eurípedes Barbosa Nunes
Categoria: Maçônicos
+ artigos deste irmão

A frase: "É uma honra para mim ser maçom", é de autoria do 16º presidente norte americano, Abraham Lincoln, que governou de 04 de março de 1861, até seu assassinato em 15 de abril de 1865. Um dos muitos motivos foi a promoção do direito de voto aos negros. A frase completa é:

"A mais sublime de todas as instituições é a Maçonaria, porque prega a luta pela fraternidade, que cultiva com devotamento; porque pratica a tolerância, porque deseja a humanidade integrada em uma só família, cujos seres estejam unidos pelo amor, dominados pelo desejo de contribuir para o bem do próximo. É uma honra para mim, ser maçom".

A segunda frase: "A Maçonaria é a entidade mais sublime que conheci", foi pronunciada pelo escritor e filósofo iluminista francês Voltaire, que viveu de 21 de novembro de 1694 a 30 de maio de 1778. Foi um defensor aberto da reforma social apesar das rígidas leis de censura e severas punições para quem as quebrasse. Polemista satírico, ele frequentemente usou suas obras para criticar a Igreja Católica e as instituições francesas do seu tempo.

O texto integral da frase é: "A Maçonaria é a entidade mais sublime que conheci. É uma instituição fraternal, na qual se ingressa para dar e que procura meios para fazer o bem, exercitar a beneficência como um dos processos para conseguir-se a perfectibilidade objetiva.

O maçom, professor, jurista e escritor Getúlio Targino Lima, presidente da Academia Goiana de Letras é autor do livro "A Excelência da União Fraterna", que deveria ser lido por aqueles que dão os primeiros passos e muito mais, por aqueles que já estão há longos anos na instituição e ainda não compreenderam de que a participatividade da maçonaria, começa no próprio maçom.

Muito atualizado perante as dificuldades que o país está passando, registra com sabedoria: "Não é preciso grande acuidade para vermos que, cada vez mais se afunda a nossa sociedade no mar de interesses, valendo qualquer preço o atingimento dos objetivos pessoais de cada um dos seus integrantes.

Nossos artigos publicados sempre aos sábados no Caderno Opinião Pública do Diário da Manhã, Goiás, espaço único na imprensa brasileira, disponível sem nenhuma censura, para a comunidade expressar seu posicionamento, seu pensamento e crítica, têm alcançado todas as unidades da Federação. Fiquei extremamente recompensado ao fazer a peregrinação entre os dias 19 e 22 de abril, quando vários maçons nos cumprimentaram pelos textos semanais. Passamos por cerimônias maçônicas, na condição de Grão-Mestre Geral em exercício, que assumi pela 16ª vez, por viagem internacional do Grão-Mestre Geral Marcos José da Silva, pelas cidades de Belém, no Pará, São João del Rei e Tiradentes, em Minas Gerais.

Em Belém o ponto alto foi a sessão magna de proclamação, instalação e posse no cargo de Grande Patriarca Regente do Excelso Conselho da Maçonaria Adonhiramita para o Brasil. 11 irmãos cruzaram o Atlântico, liderados pelo Grande Patriarca Português Luis Manuel Honrado Ramos e no templo da Loja "Lauro Sodré", proporcionou aos 150 presentes, uma cerimônia extraordinariamente emocionante e perfeita na ritualística, quando assumiu o mais alto cargo no Brasil, da Maçonaria Filosófica Adonhiramita, o irmão Waldemar Coelho.

No mesmo dia o Tribunal Eleitoral do Grande Oriente do Brasil - Pará, presidido pelo juiz eleitoral Rivaldo Miranda, diplomou o novo Grão-Mestre Estadual, Moacir Terrin e o Grão-Mestre Estadual Adjunto José Tadeu Charone Bitar. Paralelamente foram assinados os Tratados de Aliança, Amizade e Reconhecimento, pelas Potências Filosóficas do Excelso Conselho da Maçonaria Adonhiramita para Portugal e Excelso Conselho da Maçonaria Adonhiramita para o Brasil e o Supremo Conselho Filosófico do Rito Moderno do Brasil, presidido interinamente pelo Patriarca Regente Sérgio Ruas. Solenidades de grande repercussão na Maçonaria Brasileira e Portuguesa, inclusive contando com as presenças dos Grão-Mestres Estaduais do Maranhão, Ceará, Piauí, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

Em deslocamento na noite de segunda para terça-feira, amanheci em Belo Horizonte e em companhia dos maçons, presidente da Assembleia Federal, Ademir Cândido (São Paulo), e deputados federais Múcio Bonifácio e Arquiariano Bites Leão (Goiás), Ricardo Carvalho e Adão Oliveira (Rio de Janeiro), e Roberto de Sousa (São Paulo), cumpri uma distância de 200 quilômetros chegando após, às cidades de São João del Rei e Tiradentes, onde conhecemos a Associação de Parentes e Amigos de Dependentes Químicos - APADEQ, um exemplo de trabalho realizado por maçons que tem a frente Tarcísio Nonato de Paula e Valmir Lombello. Conhecemos a construção já coberta da Loja "Umbral das Vertentes", de Tiradentes, que tem como Venerável Mestre Gelson Inácio da Silva.

Em todos os lugares fui distinguido por uma calorosa acolhida, recebendo também os títulos de Membro Honorário do Excelso Conselho da Maçonaria para o Brasil e Patriarca Inspetor Geral de Honra, homenagem especial da Loja "Umbral das Vertentes", da cidade Tiradentes, que completava 25 anos de fundação. No Centro Cultural Yris Alves, recebi o "Colar do Mérito Cívico Joaquim José da Silva Xavier, Alferes Tiradentes", expedido pela Ordem dos Cavaleiros da Inconfidência Mineira, seguidora dos princípios tradicionais da Ordem dos Cavaleiros Hospitalares da Vila Rica, criada na antiga capital de Minas Gerais, pelo inconfidente Tomaz Antônio Gonzaga. Esta entidade é presidida pelo maçom Comendador Grão-Colar Celso Rafael de Oliveira.

Marcou-me profundamente, em especial, a homenagem com Laelso Rodrigues (Grão-Mestre Honorário do GOB), Ademir Cândido (Presidente da Assembleia Federal), Arnaldo Soter e Carlos Azevedo Marcassa (ex-Presidentes da Assembleia Federal), Deputado Federal Múcio Bonifácio, representando Fernando Tullio Colacioppo Sobrinho e os Coronéis Georges Feres Canaã (Exército), Carlos José Bratiliere (PM) e Jesus Milagres (PM).

Conclui a caminhada maçônica fazendo uma reflexão no túmulo de Tancredo Neves, no Cemitério da Venerável Ordem Terceira de São Francisco de São João del Rei, quando senti, irmãos, cunhadas, sobrinhos e amigos de todos os sábados, que a mesma "derrama" pela qual Tiradentes foi enforcado está novamente acontecendo, e se Tancredo Neves tivesse assumido o seu mandato, que a história está revelando a pressão dos médicos de Brasília, não permitindo no momento correto a sua transferência para São Paulo, o nosso país certamente estaria em melhores condições.

Esta é a maçonaria que prego, pratico, maçonaria participativa. É uma para mim ser maçom.

Fonte:
GOB.org.br

|(62) 98400-1233

"Como é bom e agradável quando os irmãos convivem em união!"

© Maçonaria Online | Todos os direitos reservados

Maçonaria Online - Início

Entre em contato conosco!